Documentário como prática de liberdade – com Amaranta Cesar

Reflexão sobre uma experiência de ensino-aprendizagem em cinema documental no Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, a partir da produção estudantil neste contexto formativo. Acumulados em mais de uma década de aulas de documentário, filmes e exercícios constituem um arquivo vivo de experiências pedagógicas, que podem oferecer pistas para a operação de uma abertura  nos currículos à vivência e ao fazer ativo das pessoas dentro da história. O documentário, através da produção estudantil analisada, apresenta-se como campo de experimentação do papel ético e político da subjetividade na história, conforme os termos de Paulo Freire.  Seguindo as pistas do mestre Freire, tomando como guia a lucidez da práxis, perguntamos: como podemos produzir um conhecimento comprometido com o que a gente vive?

Olá, isso é um comentário. Para começar a moderar, editar e excluir comentários, visite a tela de Comentários no painel. Avatares de comentaristas vêm a partir do Gravatar.